13.10.20

Uma Testemunha Contra Ti

Segunda-feira, 12 de Outubro


Quando Moisés ficou a saber que estava prestes a morrer, ele estava ciente da situação que ia deixar para trás. Sabia que, depois da sua morte, os israelitas iam entrar na prometida terra de Canaã e que eles se rebelariam quando alcançassem o destino almejado há tanto tempo.

2. Leia Deuteronómio 31:14-27. Que preparativos fez Moisés antes da sua morte? Quais eram as suas principais preocupações e como lidou ele com elas?

O tom de Moisés neste texto parece o de um professor que se prepara para ser substituído. Ele sabia que os seus alunos se tinham portado mal na sua presença na sala de aula; e não estava iludido a ponto de pensar que eles não se iam rebelar na sua ausência. Moisés instruiu os levitas que carregavam a arca da aliança a colocarem o livro da lei ao lado da arca para que fosse uma “testemunha”. Ele não estava apenas a entregar um plano de aula ao seu substituto, mas a transmitir um testemunho. Moisés falou do livro da lei como se fosse um ser vivo com poder para reprovar o coração dos homens.

3. Pense na lei como uma “testemunha contra” eles. Como entendemos esta ideia no Novo Testamento? (Veja Romanos 3:19-23). Ou seja, como é que a lei indica a nossa necessidade de graça?

Em Deuteronómio 31, Deus instruiu Moisés a escrever um cântico que o Senhor lhe tinha ensinado. Moisés devia ensinar o cântico aos israelitas para que, conforme declarado no verso 19, “este cântico” fosse “testemunha” para Deus “contra os filhos de Israel”. Mais uma vez, vemos as ordens de Deus personificadas. Um cântico, ao ser entoado, é partilhado e difundido mais facilmente. E, sendo ele uma testemunha, tem a capacidade de fazer com que as pessoas se avaliem a si mesmas e vejam o que ele revela sobre elas.

Quando procuramos obedecer à lei com a ajuda de Deus, ela funciona como “testemunha contra” nós? O que ensina esta testemunha sobre a nossa necessidade do evangelho?

Sem comentários: