1.10.20

Os Que Desprezam A Autoridade

Quinta-feira, 01 de Outubro


Na sala de aula, alguns são considerados “estudantes por natureza”. Eles quase não precisam estudar para ter excelentes notas. Absorvem a matéria facilmente. O conhecimento deles parece que se “fixa”. No entanto, em 2 Pedro, capítulos 1 e 2, vemos que a nossa educação em Cristo é uma experiência de oportunidades iguais para aqueles que se dedicarem.

As palavras encorajadoras de 2 Pedro 1 estão em contraste com a advertência séria de 2 Pedro 2.

5. Leia 2 Pedro 2:1-17. Que palavras fortes e condenatórias são apresentadas neste texto? Ao mesmo tempo, dentro desta advertência e condenação severas, que grande esperança nos é prometida?

Observe o que Pedro escreveu no verso 10 sobre aqueles que desprezam a autoridade. Que repreensão severa ao que também é uma realidade nos nossos dias! Como corpo da igreja, devemos trabalhar com base no princípio de que devem existir certos níveis de autoridade (veja Hebreus 13:7, 17, 24), e somos chamados a submeter-nos e obedecer-lhes, pelo menos na medida em que estas autoridades estão a ser fiéis ao próprio Senhor.

No entanto, durante esta dura condenação, Pedro apresentou, no verso 9, um contraponto, ao afirmar que, embora Deus seja poderoso para expulsar aqueles que escolheram o engano, “sabe o Senhor livrar da tentação os piedosos”. Seria possível que parte da nossa educação cristã não seja apenas evitar a tentação, mas também descobrir as maneiras como Deus nos livra dela, além de nos proteger dos que introduzem, “encobertamente heresias de perdição” (2 Pedro 2:1)? Além disto, já que o desprezo à autoridade é condenado, a nossa educação não deveria consistir em aprender o caminho certo para compreender e obedecer aos que nos guiam, e submeter-nos a eles (Hebreus 13:7)?

Embora não se possa dizer que Adão e Eva desprezaram a autoridade, eles acabaram por desobedecer ao Criador. E o que tornou a sua transgressão tão grave foi que eles a cometeram em resposta a uma contradição flagrante daquilo que a autoridade, o próprio Deus, lhes tinha ordenado, para o seu próprio bem.

Reflita nesta questão da autoridade, não apenas na igreja e na família, mas na vida em geral. Porque é que o exercício adequado da autoridade bem como a submissão adequada a ela são tão importantes?

Sem comentários: