21.1.17

O 1º dia do Trump

Enquanto acontecem manifestações por todo o mundo, Donald Trump começou hoje o seu primeiro dia completo na Casa Branca, na igreja.

“O presidente Donald Trump abriu o seu primeiro dia completo como presidente no Sábado, num serviço de oração nacional, a última peça de transição para o novo chefe executivo da nação [EUA], antes de uma prometida mudança completa para a governação.”



“O bispo Harry Jackson da Hope Christian Church [Igreja Cristã da Esperança] em Beltsville, Maryland, pediu a Deus que conceda ao presidente, vice-presidente e membros do Gabinete ‘sabedoria e graça no exercício das suas funções.’ Jackson também pediu que Trump e Pence ‘sirvam a todas as pessoas desta nação e promovam a dignidade e a liberdade de cada pessoa.’”

“O serviço incluiu leituras e orações de líderes Protestantes, Judeus, Sikhs, Mormon, Budistas, Católicos Romanos, Baha'i, Episcopais, Hindus e Nativos Americanos. Mas o programa foi notável pelo grande número de participantes evangélicos, incluindo dois ex-presidentes da Convenção Batista do Sul, a maior denominação evangélica do país. Vários oradores tinham servido como conselheiros e apoiantes de Trump e falaram na Convenção Republicana Nacional.”

“Mas a Bispo Mariann Budde, da Diocese Episcopal de Washington, escreveu num post que, embora partilhasse ‘um sentimento de indignação com algumas das palavras e ações do presidente eleito’, ela sente uma obrigação de receber todas as pessoas sem qualificação, especialmente as que discordam e precisam de encontrar uma maneira de trabalhar juntos.”

Depois deste acontecimento fenomenal, Trump visitou a CIA, com quem não tem construído as melhores relações.

Bom, serviço religioso completamente ecuménico, mulheres sacerdotes, e uma reunião com uma das principais secretas da nação americana. E o dia ainda estava a começar!

Certamente o seu primeiro dia completo de governação prova, logo ao começar, que devemos estar bem atentos à governação do quadragésimo quinto presidente dos estados unidos.

Fonte das citações: washingtontimes.com (https://goo.gl/0FSXcc)

Sem comentários: